ProteGEER

Projeto de Campo Verde no valor de R$ 3,7 milhões voltado ao manejo de resíduos sólidos é aprovado em edital do Ministério do Meio Ambiente

Por ProteGEEr, publicado em 25.11.19, última modificação em 03.12.19
Projeto de Campo Verde no valor de R$ 3,7 milhões voltado ao manejo de resíduos sólidos é aprovado em edital do Ministério do Meio Ambiente

Recursos do convênio poderão ser utilizados na melhoria dos serviços de coleta e destinação de resíduos

A política de manejo e destinação final de resíduos sólidos desenvolvida pela Administração Municipal de Campo Verde, que conta com coleta seletiva e aterro sanitário em funcionamento, começa a colher os primeiros resultados.

Um projeto elaborado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente (SEDAM) em parceria com a G.I.Z, empresa ligada ao governo da Alemanha que atua em várias frentes de proteção ambiental, foi classificado preliminarmente nas primeiras posições do edital 2019 – Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos, lançado pelo Ministério do Meio Ambiente em parceria com o Fundo Nacional de Defesa dos Direitos Difusos (FDD). O resultado foi publicado dia 11 de novembro no Diário Oficial da União.

O Município tem até o dia 28 de novembro para providenciar e enviar eletronicamente a documentação exigida para a celebração do convênio no valor de R$ 3.793,629,66. “Essa classificação nos deixa contente e mostra que estamos trabalhando no caminho certo e indo de encontro às políticas de preservação do meio ambiente”, disse o prefeito.

Fábio destacou que Campo Verde é um dos poucos municípios de Mato Grosso com um aterro sanitário em funcionamento, fato que permitiu a desativação do antigo aterro lixão a céu aberto. “Agora, com esses recursos, vamos poder melhorar ainda mais a nossa estrutura de coleta e destinação de resíduos”, observou.

O aterro sanitário de Campo Verde, que recebe diariamente 30 toneladas de resíduos, foi inaugurado em julho do ano passado em uma área de dez hectares localizada a cerca de 20 quilômetros da área urbana e conta com barracões, escritório, refeitório, esteira para separação dos resíduos, balança para pesagem e valas para depósito do material não reciclável. Em torno de 12 a 15 pessoas trabalham no local.