ProteGEEr

Capacitação indica caminhos para a redução das emissões de GEE no setor de resíduos

Por ProteGEEr, publicado em 11.07.18, última modificação em 11.07.18
Capacitação indica caminhos para a redução das emissões de GEE no setor de resíduos

Participantes do III Workshop de avaliação das ferramentas de quantificação das emissões de GEE no setor de RSU (Créditos: GIZ)

ProteGEEr reúne representantes do governo federal para discutir ferramentas de apoio à Política Nacional de Resíduos

Como uma das estratégias para aproximar a política de resíduos da proteção do clima, o ProteGEEr e os principais parceiros do projeto se reuniram nesta quinta-feira (05) para a terceira etapa de uma capacitação sobre metodologias e ferramentas para a quantificação das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) no setor de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU). As técnicas desenvolvidas serão fundamentais para promover o tema e apoiar no desenvolvimento de políticas públicas para ações de mitigação de GEE no Brasil.

O III Workshop de avaliação do processo de quantificação de GEE no setor de resíduos apresentou também  avaliações de duas metodologias para quantificação das emissões no setor, o método internacional utilizado na Comunicação Nacional pelo MCTIC, o IPCC 2006, e a abordagem de Análise do Ciclo de Vida (ACV).  As ferramentas são complementares e poderão fornecer bases para identificar onde ocorrem as emissões do setor e quais cenários poderão ajudar a reduzi-las; melhorar as estimativas de emissões de GEE do setor de resíduos; desenvolver políticas e ações de mitigação no setor.

Participantes e encontros virtuais

O evento foi realizado em Brasília e reuniu representantes do Ministério das Cidades, Ministério do Meio Ambiente, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, além de parceiros como o Institut Für Energie (IFEU), a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a Embrapa, a Caixa Econômica Federal, a Methanum e a Fundação Nacional da Saúde (FUNASA). O encontro também foi o primeiro evento do projeto transmitido ao vivo para participantes internacionais e nacionais que não puderam comparecer. Outros eventos em breve também terão transmissão ao vivo, com o intuito de incluir atores de diferentes regiões do país e do mundo.

O último encontro dessa primeira fase do trabalho será realizado em setembro de 2018, com treinamento para o uso das ferramentas e avaliação de possíveis cenários futuros para o Brasil. Esta etapa servirá para uma reflexão sobre as principais ações que serão desenvolvidas no próximo ano do projeto, para a mobilização do governo federal sobre a política de clima na gestão de resíduos e a promoção deste tema no Brasil.