ProteGEEr

Inovações para a proteção climática na gestão de resíduos sólidos urbanos

Por ProteGEEr, publicado em 18.05.18, última modificação em 11.06.18
Inovações para a proteção climática na gestão de resíduos sólidos urbanos

(Créditos: Mariana Silva/GIZ)

Projeto ProteGEEr leva delegação para Alemanha para conhecer tecnologias de baixo carbono na gestão de resíduos

Entre os dias 15 e 19 de maio, em Munique, na Alemanha, mais de 40 pessoas entre representantes do segmento acadêmico, industrial e político, participaram de visita técnica com o objetivo de se aproximar de experiências e tendências no mercado alemão de tratamento de resíduos sólidos urbanos. A visita, organizada pela GIZ Brasil, no âmbito do projeto ProteGEEr, levou a delegação para conhecer novidades tecnológicas, fortalecer uma rede de contatos entre Brasil e Alemanha e identificar possíveis aplicações para promover cada vez mais a proteção do clima, por meio da gestão sustentável de resíduos no Brasil.

Durante a visita, participantes da delegação visitaram plantas de resíduos, como AEZ Erbenschwang com foco em tecnologias de valorização de rejeitos e geração de CDR, a empresa privada Wurzer Wertstoff GmbH que abrange as tecnologias de compostagem, geração de recicláveis e CDR e a Kommunalunternehmen für Abfall-Vermeidung, Information und Verwertung im Oberland, tecnologia de biodigestão de orgânicos selecionados. Os participantes viram puderam ver astecnologias em funcionamento, participaram de discussões sobre aspectos da gestão e compartilharam informações com parceiros da Alemanha. O diretor de Financiamentos de Projetos de Saneamento do Ministério das Cidades, Sérgio Wippel, destacou as visitas às plantas de CDR, Compostagem e Triagens de recicláveis, operadas por empresas privadas e públicas como um ponto alto da viagem. “Foi possível comparar as diversas tecnologias, identificar problemas de projetos, dificuldades de operação, viabilidade econômica e de gestão”, afirmou.

A integração entre os setores privado e governamental promovido pela delegação foi outro ponto de destaque para os participantes. "Graças ao ProteGEEr foi possível reunir vários atores que podem contribuir para o aprimoramento da gestão de resíduos no Brasil. Aproximou universidades, municípios e governo federal para conhecer a gestão de resíduos na Alemanha, referência internacional na gestão de resíduos, na prática, por meio de visitas a empresas públicas e privadas, que são responsáveis pelo tratamento de resíduos”, ressaltou a Coordenadora geral de resíduos do Departamento de Qualidade Ambiental e Gestão de Resíduos, na Secretaria de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Sabrina Andrade.

IFAT: Novidades, conhecimentos e experiências compartilhadas

Além das visitas às plantas, os representantes puderam participar de apresentações promovidas pelo ProteGEEr como a o diretor-geral do Ministério do Meio Ambiente da Alemanha (BMU), Helge Wendenburg e conheceram cidades que já trabalham com a gestão de resíduos de forma integrada, dentro do conceito de economia circular, como Hamburgo e o distrito de Bernkastel-Wittlich. Eles participaram também da IFAT, feira líder mundial em gestão de água, esgoto, resíduos e matérias-primas.

O professor e Vice-Diretor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Romildo Toledo, destacou a importância das visitas, que possibilitaram o contato com políticas bem estabelecidas, além de demonstrar como essa gestão dos resíduos em torno da economia circular funciona de forma madura e avançada na Alemanha. “Eu acho que foi de grande importância ver o relacionamento entre o meio acadêmico, o governo e a indústria. Isso mostra que é possível adaptar os modelos e promover uma gestão sustentável no Brasil”.
Sempre em busca de inovação para proteção climática, o projeto ProteGEEr organizará novas visitas técnicas ao longo de sua execução.


Quer saber mais? Acesse os registros fotográficos e apresentações na biblioteca.