ProteGEEr

MMA capacita projetos de compostagem com representantes de todo o Brasil

Por ProteGEEr, publicado em 19.04.18, última modificação em 18.05.18
MMA capacita projetos de compostagem com representantes de todo o Brasil

(Créditos: Mariana Silva/GIZ)

Alinhar a gestão de resíduos orgânicos com princípios da economia circular nos municípios brasileiros têm sido um dos focos de trabalho do Ministério do Meio Ambiente que realizou uma capacitação em resíduos sólidos para fortalecer iniciativas que fomentem políticas públicas para a reciclagem de resíduos orgânicos. Entre os dias 17 e 20 de abril, na cidade de Florianópolis (SC), os responsáveis pelos 12 projetos selecionados no edital do MMA foram reunidos para qualificar a implementação dessas iniciativas. O evento foi organizado em parceria com o Fundo Socioambiental da Caixa e com o apoio do Projeto de Cooperação para a Proteção do Clima na Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos, o ProteGEEr.

A capacitação teve o objetivo de qualificar a implementação dos projetos contemplados, usando como base experiências bem-sucedidas em outras iniciativas, além de propiciar a integração entre esses projetos e promover uma rede de contatos com especialistas, membros das instituições concedentes e parceiros, como o ProteGEEr.

Luane Miranda, assistente de projetos sociais em Marabá, participou da programação com o projeto CompostaMab e ressaltou que a capacitação é um diferencial. Para Luane esta foi uma ótima oportunidade, este “é primeiro projeto, dentre os que já acompanhei, que começa com uma capacitação com uma integração desse nível. Trazendo pessoas de várias formações, uma equipe multidisciplinar”.

Para o ProteGEEr o contato com as 12 iniciativas foi fundamental para que o projeto de cooperação acompanhe as ações municipais em torno da redução dos impactos ambientais e da mitigação da emissão de GEE resultante da gestão de resíduos. De acordo com Lúcio Costa, coordenador de Resíduos Sólidos do MMA, “é de todo o interesse para o projeto que se fomente a lógica da economia circular para a cadeia de resíduos orgânicos no Brasil. O que está sendo feito por esse edital, tem poder de mudar essa lógica. Aqui a gente tem municípios de quase todas as regiões do Brasil, de vários portes e várias realidades, o que vai ser importante para promover a gestão de resíduos mais sustentável no Brasil”.

Mudanças na cadeia de gestão dos resíduos

Atualmente, a gestão de resíduos no Brasil está dissociada do ciclo natural da matéria orgânica, o que gera diversos impactos ambientais. Muitos municípios já se mobilizam para conscientizar a sociedade e adotar novas práticas para mudar essa realidade, como por exemplo, a adoção da compostagem.

Entre eles, o município de Marabá, que também foi selecionado pelo edital e marcou presença na capacitação do MMA. Com o apoio das Secretarias Municipais de Agricultura (Seagri) e de Saneamento Ambiental (SSAM), é o primeiro projeto de compostagem dos Resíduos Sólidos Orgânicos em Marabá, que busca fortalecer a horticultura no município, diminuir a fração orgânica que era destinada aos aterros e aumentar o uso do composto orgânico produzido na própria comunidade.

Milton França, Coordenador do Departamento de produção Animal e Vegetal da (Seagri) acredita no poder transformador deste tipo de ação. Para França, a capacitação foi muito boa, com possibilidade de impactar em mudanças na cadeia de valores “porque aqui estamos colhendo experiências do próprio SESC, da Universidade de Santa Catarina e dos demais projetos. Para que a gente consiga passar essas práticas para o nosso município e implementar nosso projeto”. A economia circular na prática.