ProteGEEr

Lançamento do projeto ProteGEEr

Por ProteGEEr, publicado em 22.03.18, última modificação em 11.04.18

Parceiros engajados pela proteção climática e preservação dos recursos naturais na gestão de resíduos

Envolvidos com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, os governos do Brasil e Alemanha têm trabalhado em conjunto para fortalecer e implementar iniciativas que visam preservar o clima e criar melhores condições ambientais, sociais e econômicas. Na última quinta-feira (22), representantes dos dois países se reuniram para dar início a mais um projeto dessa cooperação, o ProteGEEr. O lançamento oficial aconteceu na sede do Ministério das Cidades, onde estiveram presentes o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, o secretário substituto da Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia, Sávio Raeder, o secretário substituto de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Sérgio Gonçalvez, o coordenador-geral de Cooperação Técnica da Agência Brasileira de Cooperação, Wósfi Yuri e o diretor-geral do Ministério do Meio Ambiente da Alemanha (BMU), Helge Wendenburg.

LANÇAMENTO PROTEGEER

(Fonte: Ministério das Cidades/Divulgação)

Foco em Resíduos Sólidos Urbanos e proteção climática

O ProteGEEr é um projeto de cooperação técnica entre Brasil e Alemanha para promover uma gestão sustentável e integrada de resíduos sólidos urbanos (RSU), preservar os recursos naturais e reduzir o uso de energia e a emissão de gases de efeito estufa (GEE). Ele é implementado no âmbito da cooperação técnica firmada entre o Ministério das Cidades, o Ministério do Meio Ambiente, a Agência Brasileira de Cooperação e a Cooperação Brasil-Alemanha por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

O projeto também se propõe a fazer um intercâmbio de conhecimentos e práticas internacionais, para que modelos de gestão de RSU possam ser replicados e potencializados no Brasil. De acordo com o ministro Alexandre Baldy, “O descarte de resíduos sólidos é um grande desafio nacional, e nós observamos que a cada ano que se passa o prazo vence, as dificuldades e a falta de resolutividade desse gargalo afetam diretamente as cidades. Esperamos que o governo alemão e todos que possam contribuir nos auxiliem cada vez mais com projetos, com tecnologias que possam ser incorporadas no nosso país”.

Confirmando essa importância, o diretor-geral Helge Wenderburg, que participou de uma visita técnica ao Aterro Sanitário de Brasília e a uma usina de compostagem com a equipe do projeto na quinta-feira (22), ressaltou a importância de atividades como a reciclagem, a biodigestão de resíduos e a compostagem. Para Wenderburg, esse trabalho conjunto deve ser celebrado, já que confirma o interesse dos países no compromisso de reduzir as mudanças climáticas. “Eu fico muito contente que o projeto ProteGEEr tenha encontrado parceiros tão engajados, tanto do lado brasileiro, quanto do lado alemão”, disse o diretor.

Para que os resultados esperados do projeto sejam alcançados, assim como as metas climáticas do país, é necessário o engajamento de todos os indivíduos e instituições. “Esse evento é um marco, pois confirma o interesse interministerial e entre nações de reforçar essas políticas no Brasil. Torcemos para que essa cooperação demonstre resultados inovadores e esclarecedores para o governo brasileiro sobre o papel da gestão de resíduos para combater as mudanças climáticas“, afirmou o embaixador Georg Witschel.

Oficialização de parceria interministerial

Além do lançamento do projeto, na ocasião foi feito o anúncio da formalização do comitê de coordenação conjunto do projeto. Instaurado para alcançar os objetivos da cooperação, na tomada de decisões estratégicas sobre a gestão e coordenação do ProteGEEr. O comitê é composto por representantes do MCidades, MMA, ABC, GIZ, MCTIC e da Universidade Técnica de Braunschweig.