Correio Braziliense

Materiais ecológicos começam a substituir o plástico no comércio do DF

Por ProteGEEr, publicado em 19.08.18, última modificação em 30.08.18

Práticos e baratos, os descartáveis conseguiram um espaço na rotina que muitas vezes passa despercebido. Seja no cafezinho rápido durante o trabalho ou o canudo do refrigerante do almoço, os materiais estão sempre presentes. O resultado disso são mais de 400 toneladas de plástico retiradas por dia das ruas do DF pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU). O tempo de uso é, em média, 60 segundos, mas o prazo que eles ficam no planeta até se decompor supera 400 anos.

O maior problema é a dificuldade de dar um destino correto aos materiais. No DF, só 15% de todo o plástico recolhido pelo SLU é reciclado, devido ao baixo preço de mercado. Enquanto a tonelada de alumínio custa R$ 2,5 mil e o de garrafas PETS, R$ 1,2 mil, o mesmo peso de descartáveis sai por cerca de R$ 350.

Hoje, o plástico representa de 60% a 80% de todo o lixo oceânico, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). Estudo divulgado durante o Fórum Econômico Mundial de Davos mostra que, até 2050, existirá mais plásticos nos oceanos do que peixes.

Para ler mais, clique aqui